Dicas para revendedor

03/03/2021 / 10 meses ½ atrás

7 Dicas que ninguém te conta antes de revender

7 Dicas que ninguém te conta antes de revender

Veja como começar a revender roupas e ter sucesso.

 
Revender roupas tem se mostrado uma grande saída para quem deseja ter uma renda extra ou até mesmo como atividade principal. A grande vantagem desse mercado é que se pode explorar nichos muito específicos ou vestuários mais comuns. Mas vamos falar um pouco mais sobre isso depois! O ponto que eu considero mais importante, é antes de mais nada criar um planejamento. Eu sei que no primeiro momento, a ansiedade em fazer a primeira compra é muito grande, porém, se pularmos as etapas mais importantes, a chance de ter sucesso é muito pequena. Vou classificar aqui, as etapas por ordem de prioridade e depois vou explicar cada uma delas.
 
  1. A escolha do estilo de roupa;
  2. Pesquisa de preço e concorrentes;
  3. Pesquisa de fornecedores;
  4. Seu público-alvo;
  5. Plano de negócio;
  6. Legalize seu negócio;
  7. Gerenciamento financeiro.
 

                                                                                    

 

1. A escolha do estilo de roupa.

Em uma escala de importância é sem dúvida um fator determinante para o sucesso do seu negócio, pois é muito mais fácil vender algo que você gosta, concorda? Tenha em mente que quanto mais exótico for o seu gosto, menor será o número de pessoas que irão de encontro com seu estilo. Por outro lado, quando saímos do básico ou do comum, a margem de lucro tende a ser sempre maior.

2. Pesquisa de preço e concorrentes.

Não menos importante é a pesquisa de preço e saber quem são seus concorrentes, seja a venda que chamamos “corpo a corpo” ou a venda digital por e-commerce, marketplace ou redes sociais. Costumo dizer que mais importante do que vender bem é saber comprar bem, e para isso é fundamental saber qual a média de preços seus concorrentes estão praticando naquele nicho de mercado que você escolheu. Se optar por fazer suas vendas de forma física, dentro do seu bairro, faça uma pesquisa nas lojas mais próximas e descubra também quais são as sacoleiras que vendem o mesmo estilo de roupa que o seu.

 

3. Pesquisa de fornecedores.

Esse é o momento de ter muita calma, separar um caderninho e mergulhar na internet. Tenha muito cuidado com anúncios em grupos do facebook  ou posts no Instagram, peça referências, pesquise no Google  sobre a empresa. Nunca.....repito! Nunca faça depósito para supostos fornecedores, sem ter feito todo o levantamento sobre a empresa que irá realizar a compra.

 

4. Seu público-alvo.

Com base no estilo de roupa escolhido, defina qual será o público que se encaixa no seu produto, esse tipo de filtragem, evita que você gaste sua energia a toa. Se optar pela venda física, começe por amigos e parentes.

 

5. Plano de negócio.

O Plano de Negócios vai definir alguns pontos como:

  • Nome da loja – ou seja, sua marca;
  • Produtos vendidos – a categoria escolhida e também mais detalhes sobre cada produto;
  • Custos – o valor de cada item que irá comprar, além de custos da operação de venda (estoque, funcionários, energia, telefone, embalagens, etc);
  • Preço – o valor que irá vender cada item para justificar seus custos e gerar lucro;
  • Capital investido – quanto você pretende investir no negócio para ele começar a funcionar;
  • Capital de giro – quanto você terá em caixa para suprir a necessidade do negócio durante os primeiros meses.
 
6. Legalize seu negócio.
Temos em nossa cultura a informalidade como forma de aumento na lucratividade e também pela indignação de nossos impostos não serem revertidos em benefícios para a população, como de fato deveria ser. A verdade é que quando se trabalha de forma legal, muitas portas são abertas. Uma empresa com suas contas em dia tem diversos benefícios em suas relações com fornecedores.
 
7.Gerenciamento financeiro.
Agora vamos falar do futuro. Tenha uma conta jurídica e não misture as despesas da sua empresa com suas despesas pessoais. Defina uma retirada mensal que de fôlego para que sua empresa possa crescer. Se essa nova atividade for sua única fonte de renda, você vai precisar ter um capital inicial que pague suas despesas e as despesas de sua empresa por no mínimo seis meses. E olha que estou sendo bem modesto, o ideal é ter fôlego por pelo menos doze meses. Já se a nova atividade for uma atividade paralela ou que você não dependa exclusivamente dessa nova renda, ai esta uma grande oportunidade para ir reinvestindo os ganhos e aumentar seu poder de compra. Quem compra barato, vende barato!
 
Por: Marcus Vinícius

 

POST ANTERIOR

PRÓXIMO POST

Conta pra gente o que achou!

0 comentário

Deixe seu comentário

Comentário

Nome

E-mail

Quanto é 4 + 2?

NEWSLETTER

Digite seu e-mail

Não se preocupe, também não gostamos de SPAM :)